quarta-feira, 17 de março de 2010

Saindo do armário

Cara, olha essa, que demais, hahhahaha:



Político dos EUA que sempre votou contra direitos gays se assume homossexual

ANDREA MURTA
DE WASHINGTON

Nos 14 anos em que serviu no Legislativo da Califórnia, o senador estadual republicano conservador Roy Ashburn votou contra todas as propostas de lei apresentadas para expandir direitos legais para homossexuais, desde o reconhecimento do casamento gay até a instituição de um feriado em homenagem ao ativista Harvey Milk.
Pois anteontem, Ashburn, 55, divorciado e pai de quatro filhas, assumiu em entrevista a uma rádio que é gay.
A revelação ocorreu pouco após uma explosão de rumores em torno de sua prisão por dirigir embriagado na madrugada do último dia 3. Quando foi parado pela polícia, o senador estava em um carro do governo depois de sair de uma boate gay em Sacramento ao lado de um homem não identificado.
Na rádio, Ashburn não esperou pela pergunta: "Sou gay. E eu... essas são as palavras que foram tão difíceis para mim por tanto tempo", disse. "Sempre pensei que isso não alteraria a forma como faço meu trabalho. Mas depois das minhas ações na última semana, isso não é mais possível."
Ashburn se vê agora em meio a uma chuva de críticas por hipocrisia. Suas posições o levaram a receber repetidamente nota zero do grupo Equality Califórnia, que defende a expansão de direitos gays e avalia políticos por seu apoio à causa.
O diretor do grupo, Geoff Kors, afirmou esperar que a revelação leve Ashburn a votar de outra forma. "Espero que seu reconhecimento de si mesmo faça com que ele pare de negar às pessoas os direitos mais básicos", disse.
Mas, para Ashburn, os votos refletem o que o seu eleitorado pensa, e essa posição não muda após a declaração.
O senador da Califórnia está longe de ser o único gay a votar contra direitos homossexuais. A situação é tão comum que deu origem a um documentário, "Outrage" (2009), do diretor Kirby Dick, que mostra vários políticos supostamente gays que votam continuamente contra leis que ampliariam direitos de homossexuais nos EUA.
Além disso, vários políticos americanos já viram o fim de suas carreiras chegar mais cedo por escândalos sexuais gays. Um dos mais famosos é Larry Craig, ex-senador republicano que foi preso em 2007 por assediar homens no banheiro de um aeroporto.
Já o deputado democrata Eric Massa (também casado) renunciou nesta semana em meio a uma investigação por assédio -ele teria "apalpado" assistentes homens de seu gabinete. Ele atribui a denúncia a um complô do seu partido contra ele porque ele se opõe à reforma do sistema de saúde, prioridade do governo.

Pérolas 2010

E meu ouvido é penico mesmo...

Olha essa, publicada pela Folha ( http://www1.folha.uol.com.br/folha/podcasts/ult10065u705009.shtml )

"A carreira do professor está voltando a ser atraente", diz o governador. Neste ano, o Estado abriu concurso para 10 mil novas vagas. No total, foram mais de 261 mil inscritos. "Se fosse mau negócio, você não teria 26 candidatos para cada vaga", afirma Serra.

Isso merecia um funk do youtube, no mínimo...
Cara, como assim? A situação de desemprego absurda do jeito que está e o Serra vem me justificar que é uma delícia ser professor e que as condições de trabalho são ótimas porque tem uma galera atrás de emprego? Em que planeta ele está?

Pois é, o tio Marx já falava sobre isso - a necessidade vital de se ter desempregados para o capitalismo funcionar. Exemplo prático, caros estudantes de Sociologia....

E esse cara talvez vire presidente....medo...

terça-feira, 16 de março de 2010

Novos direitos LGTTB - Austrália

Sensacional!

http://torredembarra-gay.lacoctelera.net/post/2010/03/15/australia-hace-historia-al-reconocer-legalmente-genero-no

Australia hace historia al reconocer legalmente el género"no especificado"

Nueva Gales del sur dio el reconocimiento legal, primero en su tipo, que incluye a todas las orientaciones sexuales y genéricas existentes.

Australia hace historia en el ámbito de los derechos LGBT, al dar el reconocimiento legal a la no especificidad en el género de una persona. Así, no será necesario que en Nueva Gales del Sur alguien tenga que optar por ser “hombre” o “mujer” para tener reconocimiento legal y civil y conservar todos sus derechos.

El estado emitirá un certificado que sustituirá al tradicional registro o acta de nacimiento. La primera persona que recibió este tipo de documento fue Norrie, también conocid@ como Norrie- MayWelby.

El Zie (pronombre de género específico) tiene desde ahora reconocimiento legal por parte del gobierno australiano, para definir a quien no se orienta como hombre o mujer.

Norrie de 48 años y de origen escocés, termina así un largo periplo tras buscar dejar de ser legalmente un “He” (él) para poder ser un o una “Zie”. No existe en castellano un pronombre equivalente.

Cuando Norrie tenía 23 años, inició su proceso de re-asignación de género a través de un tratamiento hormonal y cirugía. Logró obtener un certificado de reasignación en donde se le reconocía como mujer, pero Norrie no se encontraba cómoda viviendo únicamente como mujer.

Sin embargo, Norrie no se sentía cómodo viviendo únicamente como una mujer. Ahora se muestra feliz de poder acceder a tanto a su personalidad femenina como a la masculina y que ambas estén reconocidas legalmente.

Norrie, que se identifica ahora con las filosofías orientales, ha dejado de tomar hormonas y ha decidido tomar una identidad neutra, ni hombre ni mujer; de hecho, sus médicos, reunidos en enero pasado determinaron que efectivamente, además de que ya no poseía gónadas masculinas, su identidad sicológica era neutra.

Março

E como não podia deixar de ser..
Março, março, mês mágico...
Mês do fim e do início, mês da síntese das águas bentas de peixes, e da explosão do recomeço em chamas ariano...
Dia 20 se inicia mais um ano astrológico, mais um ciclo dos astros a festejar a vida.
E março, sem dúvida, o mês em que sempre acontecem coisas mágicas e intensas na minha vida, não poderia deixar de ser reverenciado aqui...

Nada mais clichê - nem mais significativo para mim - que tocar as velhas e boas águas de março...
http://www.youtube.com/watch?v=jYLoxMtnUDE

E vai rolar a festa...

Galera, escrevo finalmente de um pc meu - nem acredito!!!
Hehehe....
Agora sim vou poder escrever mais...
O tema hoje é distoante do que vem rolando aqui...

Pois bem, a novidade agora é prender os festeiros...
A Unicamp e a Associação de Moradores de Barão Geraldo (que não inclui quase moradores, já que a maioria dos proprietários de imóveis em Barão alugam as casas para repúblicas por preços nada modestos e moram bem longe daqui, mas proibem a participação daqueles que alugam as suas casas na tal Associação) decidiram que é um absurdo estudante fazer festa...Onde já se viu, estudante se juntar p/ ouvir música e tomar cerveja?? Claro, evidentemente, é preciso punir a juventude transviada...

Pois é, parece piada, mas a gente ri para não chorar. O negócio é sério: estudante tomando processo por festa no campus. Até delegacia abriram para apurar os casos seríssimos de festas...Estupros, roubos, sequestros-relâmpago, crimes tranquilos, besteirinhas...Mas festa!!!Isso sim é que se precisa punir, isso tem que dar processo...E nosso ouvido é penico.

Pior: os processos estão sendo colocados sem nenhuma prova!!Nada, tem estudante sendo punido por organizar a festa sem nem dar as caras no evento, simplesmente por ser gestão do Centro Acadêmico...Pior ainda: interrogatório de horas, com perguntas do tipo "O que vcs discutem no Centro Acadêmico?"...O que é isso, a volta do DOPS? Essa galera não conhece direitos humanos não?? Acusar sem provas? Sem contar que eles vão e invadem onde querem sem mandato, a paisana, chegam na casa dos pais dos estudantes e pedem p/ que eles assinem documentos pelos filhos...Ei, e minha maioridade? Que merda é essa?

Pois é, isso me preocupa...Democracia é o caralho, a maior falácia do mundo. Cadê?

O cerco tá fechando. Entro na moradia estudantil e um guardinha de empresa privada, tão cidadão quanto eu, um civil, me pede o Cartão Universitário (carinhosamente chamado de CU) para entrar. Eu me nego a mostrar: ele não é polícia p/ me pedir isso, e eu tenho o direito humano de manter minha pivacidade e não ter que mostrar nem provar identidade para ninguém. Pois o cara foi atrás de mim pedir o documento...pode isso? O cara me seguiu!!!E depois de tempos de discussão eu quis ir embora e a outra guardinha quis impedir minha passagem....pois é, a coisa tá preta.

E a discussão: Será que temos uma universidade pública? A água está batendo na bunda agora, estamos começando a ter nosso direito de ir e vir cada vez mais limitado, mas o processo é velho...A começar da própria lógica de estrutura didática dos cursos, passando pela inconcebível existência de um vestibular da forma como se dá, passando pelo onda de empresas que se infiltram e chupinham nossos laboratórios e nossa estrutura, passando pelo fato de uma porcentagem ridiculamente pequena da população(que não é de qualquer população, claro) ter direito a usufruir dela(seja como aluno ou como meramente leitor, já que nem nas bibliotecas as pessoas podem retirar livros), e agora culminando no absurdo de limitar nosso direito de estar em um lugar público...

Mas agora o pessoal resolveu levantar e agir! Festas, manifestações, panfletos... É, velhas brigas com os mesmos de sempre, as vanguardas papagaias se juntam, alguns novos se aproximam, alguns burros teimosos com ascendente em touro tentam brigar para mudar o rumo das coisas, e a pergunta que não deixo de me fazer: Será um devaneio meu sonhar com o dia em que a gente vá no Real Parque, bairro da periferia de Barão mais próximo da Unicamp (até onde sei, pelo menos),coloque uma banquinha lá e comece a conversar com a galera que passa e vive lá para saber o que eles pensam e esperam da Unicamp? Será devaneio imaginar o dia em que a gente se organize para erradicar o analfabetismo... em Barão Geraldo? Será devaneio meu imaginar o dia em que a gente vá p/ Centro de Campinas e troque idéia com as pessoas chamando-as para ocupar este espaço público que é de todos? Por que temos tanto medo de ir lá fora buscar as pessoas e trazê-las aqui para dentro? O que é a universidade pública, é uma espécie de formadora de vanguardas para "mobilizar" as massas?

Mobilizar e massas são palavras completamente contraditórias para mim...E vanguarda me dá arrepios...

Enfim, fica aí minha declaração depois de pular catraca, ter uma mágoa de meu classe-medismo e do classe-medismo do Movimento/Paramento Estudantil, e de conversar com colegas pedagogos no CAP pela tarde. Agradecimentos a eles: Poli, Tami e Daniel

terça-feira, 9 de março de 2010

8 de março para uma Vaca Profana

Respeito muito as minhas lágrimas...
Mas ainda mais minha risada!

E é por isso que eu ando as voltas exibindo minha barrigona grávida por aí, a la Leila Diniz (Leiluska, te devo este direito!), comemorando o sol, ainda que o calor exagerado me maltrate um pouco...Ontem foi 8 de março, e ouvi muitos parabéns...

Parabéns...parabéns pelo que, exatamente? Um monte de mulheres morrem queimadas(nada mais simbólico a la inquisição, mas esta foi pelo Capital mesmo) numa fábrica p/ eu ganhar parabéns, florzinhas e presentes? Até isso se mercantiliza, p/ variar... Não só os cristãos tem seu desgosto por ver suas principais datas como temas do mercado, mas eu também, enquanto feminista, tenho que ver as floriculturas lucrando...e como se não bastasse, ainda tenho que ouvir piadas e comentários machistas de "essa história de dia da mulher é uma patifaria", "não existe mais machismo", "vcs só tem o 8 de março, nós temos o ano todo"; além de ler artigos nojentos, como um que foi colocado na Folha de SP escrito por um bosssal chamado Pondé(não vou colocar o link porque não vale a pena); e como se isso não bastasse também, ainda tenho que ver um bando de esquerdistas interesseiros, buscando votos, dinheiro, poder, e sei lá mais o que, empunharem bandeiras nossas sem nem ao menos refletir sobre isso, sem mudar suas posturas, como no ano passado, que a gente foi na passeata do 8 de março em SP com um ônibus do DCE da Unicamp e teve que andar com o bloco do PSOL...Socorro!

Pois eu vou dizer o que eu quero ganhar de presente neste 8 de março. Antes de mais nada eu quero ganhar a alegria de ser mulher! Quero poder viver plenamente meu feminino... Quero ter o MEU tempo, que o Capital, o capitalismo, os católicos e evangélicos e até alguns de esquerda tanto querem me impedir de viver - não posso ter cólicas hoje e me recolher porque tenho trabalho p/ fazer(e me drogo com mil remédios), não posso estar inchada porque isso significa ser gorda e não caber naquela roupa que está na moda, não posso seduzir e trepar loucamente no meu período fértil porque as pessoas vão me julgar e eu corro o risco de engravidar e ser obrigada a ser mãe, não posso admirar outras mulheres e ter amigas porque mulher tem que competir, e quem me dera ainda sonhar com outras tetas em minha cama, tenho que ter muito cuidado na minha primeira vez porque vai doer, vai doer, vai doer!!, não posso dormir muito no começo da minha gestação, não posso sentir meu parto porque vai doer, vai doer, vai doer!! não posso parir em mais de 2h porque o médico não ganha p/ isso, não posso treinar uma luta, jogar futebol e sair sozinha a noite porque sou frágil e fraca...A lógica do tempo na nossa sociedade foi construída por homens, homens que têm um organismo que funciona sob um ciclo diferente do nosso. Homens que não hesitaram em nos impor padrões. Homens que mercantilizaram a imagem de nossos corpos, quando conquistamos o direito de não escondê-lo. Homens que inventaram a propriedade privada e nos colocaram como uma. Mas que com isso se aprisionaram também, se aprisionaram no ter que ser macho, no ter que possuir, no ter que silenciar suas lágrimas e só puder mostrar risos e força.

As feministas muitas vezes se prenderam em nossa tristeza de oprimidas, e negaram sua existência feminina. Negaram a maternidade, negaram o prazer de ter um homem, negaram que os homens sofressem, negaram sua menstruação, negaram o ciclo da lua que existe dentro de nós. Onde está nosso orgulho de ser mulheres? Será negar o feminino realmente ser feminista?

Eu quero o meu ciclo para mim! Quero poder organizar meu tempo e me recolher a refletir nos dias de minha menstruação, e me exibir exuberante e feliz nos meus dias fértais!!Eu quero a liberdade da minha nudez, sem pensar em celulite, estrias, gorduras, sem pensar em papas e pastores, sendo sensual simplesmente por ser mulher cheia de desejo! Eu quero meus gritos libertos de prazer nas noites e manhãs da minha vida! Eu quero ser livre para admirar tanto outras mulheres a ponto de poder querê-las, sem um babaca machista querendo entrar no meio!! Eu quero meu direito de ir e vir sem medo, sem o fantasma do absurdo do assédio e do estupro! Eu quero ser livre para estudar, dirigir, pensar, criar tudo o que queira, sem ter que provar que sou capaz! Eu quero ter um filho de cuca legal, e não porque a camisinha furou! Eu quero meu parto de volta, com pessoas queridas em volta, quero estar livre para senti-lo, livre para gritar de dor e de prazer, livre para que meu corpo dite o ritmo, livre para pulsar sexualidade, livre da virgem maria, da maternidade de virgem! Quero exalar meu tesão através da minha barriga grande!! Livre para ser mãe e amamentar como loba... Eu quero liberdade para ser mulher, em tudo o que isso significa...

E para isso, eu quero homens livres! Livres para chorar, livres para amar, livres para construir o que querem, livres para não dirigir, livres para dançar e ler poemas, livres para não guiar o tempo todo, livres para experimentar outros homens, livres para brincar, livres para se deliciarem com o nosso prazer, livres das virgem maria que povoam as camas cheias de medo, livres para serem pais além do dinheiro, livres para usar todas as cores que nossos olhos podem ver...Eu quero a liberdade de homens inteiros...

Por isso, eu reivindico a alegria! Eu reivindico a alegria que há de quebrar a história! Reivindico a alegria que subverte o capital, a moral, o machismo...

E minhas divinas tetas nunca estiveram tão próximas de jogar o leite na cara dos caretas....=)